quinta-feira, 8 de dezembro de 2016

SÉRGIO CARVALHO (PIANO, TECLADOS E ARRANJOS)

Sérgio Carvalho de Almeida
25/01/1943 - 03/05/2004 





DISCOGRAFIA

Pra Frente (1964 – Continental)
Conjunto Sergio Carvalho - Alta Tensão (1967 – Equipe)
Ritmo, Dança, Alegria – Com o Conjunto de Sergio Carvalho (1968 – Philips)

PARTICIPAÇÕES (COMO MÚSICO E ARRANJADOR)

Cry Babies – Cry Babies (1969 - CID)
Elis Regina – Ela (1971 – Philips/Phonogram)
Wilson Simonal – Jóia, jóia (1971 - Odeon), Se dependesse de mim (1972 – Philips/Phonogram), Olhaí, balandro.... É bufo no birrolho grinza! (1973 – Philips/Phonogram), Dimensão 75 (1974 – Philips/Phonogram)
Elizeth Cardoso – Feito em casa (1974 – Copacabana), Elizeth Cardoso (1976 – Copacabana), Elizeth Cardoso no Japão (1977 – Copacabana), Elizeth - A cantadeira do amor (1978 – Copacabana), O inverno do meu tempo (1979 – Som Livre), Outra vez Elizeth (1982 – Som Livre)
Beth Carvalho – Pra seu governo (1974 – Tapecar), Sentimento brasileiro (1980 – RCA), Suor no rosto (1983 – RCA)
Hyldon – Na rua, na chuva, na fazenda (1975 - Polydor), Sabor de amor (1981 – Continental)
Fagner – Ave noturna (1975 – Continental)
Agepê – Moro onde não mora ninguém (1975 – Continental), Agepê (1987 – Philips/Polygram)
Waltel Branco – Meu balanço (1975 - CBS)
Wilson das Neves – O som quente é o das NevesWilson das Neves e Conjunto (1976 – Underground/Copacabana), Brasão de Orfeu (2004 - Quelé/Acari Records/Biscoito Fino)
Leci Brandão – Metades (1978 - Polydor)
Cartola – 70 Anos (1979 – RCA)
João Nogueira – Clube do Samba (1979 - Polydor)
Diversos Intérpretes – Ópera do Malandro (1979 – Philips/Polygram)
Quarteto em Cy – Quarteto em Cy interpreta Gonzaguinha, Caetano, Ivan e Milton (1980 – Philips/Polygram)
Zé Carlos Damas – Explode Povão (1980 - RCA)
Dudu França – Brilho novo (1982 – RCA)
Silvio Cesar – Silvio Cesar (1983 - Independente)
Martinho da Vila – Novas palavras (1983 – RCA)
João Bosco – Gagabirô (1984 - Barclay)
Mussum – Mussum (1986 - Continental)
Roberto Carlos – Roberto Carlos (1986 – CBS), Roberto Carlos Ao Vivo (1988 – CBS), Roberto Carlos (1998 – Columbia/Amigo Records), Roberto Carlos (2002 – Amigo Records/Sony Music)
Mestre Marçal – Sem meu tamborim não vou (1987 - Polydor)
Zeca Pagodinho – Boêmio feliz (1989 – BMG)
Max de Castro – Orchestra Klaxon (2002 – Trama)


terça-feira, 6 de dezembro de 2016

IVAN LINS - AGORA (1971 - Forma/CBD)


Biografia: http://dicionariompb.com.br/ivan-lins

01 - Salve, salve (Ivan Lins - Ronaldo Monteiro de Souza)
02 - Agora (Ivan Lins - Ronaldo Monteiro de Souza)
03 - Emy (Ivan Lins - Ronaldo Monteiro de Souza)
04 - Minha história (Ivan Lins - Arthur Verocai - Paulinho Tapajós)
05 - A próxima atração (Ivan Lins - Ronaldo Monteiro de Souza)
06 - Novamente nós (Ivan Lins - Ronaldo Monteiro de Souza)
07 - Corpo folha (Ivan Lins - Ronaldo Monteiro de Souza)
08 - O amor é o meu país (Ivan Lins - Ronaldo Monteiro de Souza)
09 - Madalena (Ivan Lins - Ronaldo Monteiro de Souza)
10 - Baby Blue (Tavynho Bonfá - Ivan Lins - Paulinho Tapajós)
11 - Hei, você (Ivan Lins - Ronaldo Monteiro de Souza - Sidney Mattos)
12 - Tanauê ou Se um índio fosse consumido pela civilização moderna
       (Rolando Faria - Ivan Lins - Ronaldo Monteiro de Souza)




      Pronto. Este é o primeiro. Não interessa se virão outros.
O que importa é que é o primeiro LP. Ele não é tudo e sim parte.
Ah, se a gente pudesse fazer tudo logo no primeiro. Mas aí
perderia a graça. Foi uma experiência bacana. Todo mundo deu
força. Honestidade não faltou. Obrigado ao Paulinho, ao pessoal
da técnica, ao pessoal do “Number One” (Pascoal, Tião,
Osmar, Jorginho, Marcio e Oberdan), ao Arthur, ao Terço, ao Wilson
das Neves, ao Hermes e a turma do M. A. U. (movimento artístico
universitário) do qual pertenço, e que é o movimento de música
popular mais bacana que poderia ter aparecido (agradecimentos
especiais ao Darcy do baixo e ao corinho: Rolando, Flavio,
Sidinho e Lucinha). Obrigado ao Ronaldo Monteiro de Souza,
parceiro e amigo. Obrigado a todo mundo, acho que valeu a pena.

                                      Ivan Lins


Direção da Produção: PAULINHO TAPAJÓS
Arranjos: ARTHUR VEROCAI
Técnicos de Gravação: ARY CARVALHAES/JOÃO MOREIRA/MAZZOLLA
Estúdio: C. B. D.
Fotos: JOÃO CARLOS CASTRIOTO
Lay out: NILO JORGE







segunda-feira, 5 de dezembro de 2016

ZÉ RODRIX - I ACTO (1973 - Odeon)


01 - Casca de caracol (Zé Rodrix)
02 - Coisas pequenas (Zé Rodrix - Tavito)
03 - Eu não quero (Zé Rodrix)
04 - Essas coisas acontecem sempre (Zé Rodrix - Tavito)
05 - Receita de bolo (Zé Rodrix - Tavito)
06 - Cadillac 52 (Zé Rodrix)
07 - Eu preciso de você pra me ligar (Zé Rodrix)
08 - Xamêgo da nega (Zé Rodrix)
09 - Quando você ficar velho (Zé Rodrix)
10 - II acto (Zé Rodrix - Tavito)



1º ACTO foi gravado nos estúdios Odeon/Rio, nos dias 24, 25 & 26 de setembro (de 09:00 às 21:00); dia 28 (09:00 às 15:00); 1º de outubro (22:30 às 04:30); e 8 de outubro (09:00 às 15:00); foi mixado nos dias 11 e 12 (de 10:00 às 18:00); direção de produção Milton Miranda; Produção de Tavito; Rodrix & Emilio Carreira usaram pianos Steinway e Fender Rhodes ’77, cravo Westernmeyer e órgão Hammond mod. Spinette com caixa Leslie; Johnny Flavin usou guitarras Gibson Custom mod. Les Paul; Willie Verdaguer usou baixo Fender mod. Jazzbass; Marcelo Frias usou bateria Hollywood com caixa Ludwig; Tavito usou o violão da sala dos produtores e guitarra Gibson Custom mod. Les Paul; agradecimentos a Dazinho, Geraldo Mirando e Mariozinho Rocha; e também a Ronaldo, Waldir, Marisinha, e Evinha; os técnicos foram Nivaldo (manhã), Dacy (tarde) e Toninho (noite); facilidades de estúdio com Guaracy e o incansável Wilson; sonoplastia (seleção) do Ladimar; Engenharia de som do seu Z. J. Merky; total inventividade eletrônica do Willy (escola húngara, dessa vez); mixagem final do Jorge Teixeira; todos os arranjos dão Rodrix/Tavito, inclusive os arranjos de base; a orquestra contou com os seguintes elementos: violinos: Ciccilo, Santino, Spilman, Piersanti, Páscoli, Pisco, Barraca, Paulo – violas: Henrique, Nirenberg e Arlindo Penteado – cellos: Ranevsky e Márcio Mallard – baixo acústico: Sérgio Barroso – trompetes: Maurílio, Heraldo, Barreto e Mozart – trombones: Norato, Sylvio, Nogueira e Bogado – trompa: Bohumil Med – flautas: Jorginho, Copinha, Jaime Araújo e Jorge Melacrino – Percussão: Dazinho – cópias: Clóvis. As fotos de capa & poster e a programação visual são da GANG/SP, num esforço de Livio Rangan, Licínio, Vicente, Walderez, Bishir, Zuleika e Reinaldo Loyo. Esse disco é uma prova de amor a uma rapaziada muito valente; ao Roberto Halfoun Neto, à Gabriela & Cristiana, ao Toninho, ao Tiago & à Mariana, à Aparecida Duprat, ao Pablo, ao Toshirinho, à Clarinha & à Aninha, à Cirinha, ao Guilhermino, à Vanessa e à Roberta, e aos pais dos mesmos; e é dedicado a Marya Bravo Rodrix e a Edir de Castro, que ensinaram ao Rodrix o verdadeiro lugar dele na face do planeta.


domingo, 4 de dezembro de 2016

SÁ & GUARABYRA - QUATRO (1979 - Som Livre)



01 - Sete Marias (Luiz Carlos Sá - Guttemberg Guarabyra)
02 - Wonder woman (Falso inglês) (Toninho Horta - Fernando Brant)
03 - Peixe voador (Luiz Carlos Sá - Guttemberg Guarabyra)
04 - Polaca mineira (Luiz Carlos Sá - Guttemberg Guarabyra)
05 - Pássaro (Luiz Carlos Sá - Guttemberg Guarabyra)
06 - Flora medicinal (Luiz Carlos Sá - Guttemberg Guarabyra)
07 - Vem queimando a nave louca (Luiz Carlos Sá - Guttemberg Guarabyra)
08 - Alucinante Alice (Luiz Carlos Sá - Guttemberg Guarabyra)
09 - Chão de poeira (Luiz Carlos Sá) / Cigarro de palha (Guttemberg Guarabyra)
10 - Chuva do campo (Luiz Carlos Sá - Guttemberg Guarabyra)
11 - Baquiá (Luiz Carlos Sá - Guttemberg Guarabyra)



SETE MARIAS

Sá (guitarra base) Constant (piano
acústico)/Beto Martins (guitarra solo)/Pedro
Jaguaribe (baixo)/Dominguinhos (sanfona)
Papete (percussão)/Nonato (bateria), apoio
vocal de Lucinha Turnbull, Fátima e Rosely,
arranjo de base de Jorge Omar; arranjo de
flautas e regência de Rogério Duprat.


WONDER WOMAN (FALSO INGLÊS)

Sá (violão de aço)/ Beto Martins (guitarra
base)/Toninho Horta (guitarras base e solo)
Pedro Jaguaribe (baixo)/Nonato (bateria);
apoio vocal de Clóvis, Fátima, Rosely, Muri
e Sá, arranjo de base de Toninho Horta,
arranjo vocal de apoio: Sá.


PEIXE VOADOR

Sá (violão de 12 cordas, guitarra base)/Guarabyra
(violão nylon)/ Beto Martins (guitarra solo)
Constant (piano elétrico e órgão hammond)
Pedro Jaguaribe (baixo)/Nonato (bateria);
apoio vocal de Clóvis, Zé Luis, Fátima e Rosely;
arranjo vocal de Guarabyra.


POLACA MINEIRA

Sá (viola caipira)/Guarabyra (pandeiro de
reis)/Beto Martins (violão de aço)/Constant
(piano elétrico)/Pedro Jaguaribe (baixo)
Papete (percussão)/Nonato (bateria); apoio
vocal de Olívia, Lucinha Turnbull e Lize Bravo,
vocalise final de Olívia; arranjo vocal de Jorge
Omar e arranjo de base de Guarabyra; arranjo
e regência de orquestra de Rogério Duprat.


PÁSSARO

Sá (viola caipira)/Guarabyra (violão de nylon)
arranjo vocal de Guarabyra.


FLORA MEDICINAL

Sá (guitarra base)/Beto Martins (guitarras
base e solo)/Constant (clavinete)/Pedro
Jaguaribe (baixo)/Papete (percussão &
efeitos)/Nonato (bateria); vocal de apoio com
Clóvis, Zé Luis, Sá, Guarabyra, Fátima, Rosely
e Lucinha Turnbull; arranjo de base por Jorge
Omar; arranjo e regência de orquestra por
Rogério Duprat.


VEM QUEIMANDO A NAVE LOUCA

Sá (guitarras leslie e base)/Guarabyra
(guitarra base)/Beto Martins (guitarra solo)
Constant (piano elétrico, piano yamaha,
clavinete)/Pedro Jaguaribe (baixo)/Papete
(percussão & efeitos)/Nonato (bateria)
Franjinha (“motor” da nave louca), apoio vocal
de Clovis, Fátima e Rosely; arranjo vocal de Sá.


ALUCINANTE ALICE

Constant (piano acústico)/Beto Martins
(guitarra)/Pedro Jaguaribe (baixo)/Nonato
(bateria); arranjo e regência de orquestra por
Rogério Duprat.


CHÃO DE POEIRA
CIGARRO DE PALHA

Sá (viola caipira) Guarabyra (viola em sol)
Beto Martins (violão de aço e guitarra slide)
Constant (piano acústico e órgão hammond)
Dominguinhos (sanfona)/Pedro Jaguaribe
(baixo)/Papete (percussão & efeitos)
Nonato (bateria); apoio vocal pelo coral da UGF,
arranjo para orquestra, coral e regência por
Rogério Duprat; arranjo vocal para Sá e Guarabyra
e arranjo de base por Jorge Omar.


CHUVA NO CAMPO

Sá (guitarra oitavada)/Guarabyra (violão)
Beto Martins (guitarra base e solo)/Constant
(piano acústico)/Pedro Jaguaribe (baixo)
Nonato (bateria); arranjo vocal e de base por
Guarabyra; arranjo e regência de orquestra
por Rogério Duprat.


BAQUIÁ

Guarabyra (violão)/Beto Martins (guitarra)
Constant (órgão hammond)/Pedro Jaguaribe
(baixo)/Nonato (bateria)/Papete (percussão);
vocal de apoio por Olívia, Lucinha Turnbull e
Lize Bravo; arranjo vocal e de base por
Guarabyra



SÁ & GUARABYRA QUATRO foi gravado de
outubro de 78 a junho de 79 nos estúdios
da Vice Versa (São Paulo) e da Sigla (Rio de
Janeiro). Direção de Produção: Guto Graça
Mello/Direção Artística e de Estúdio: Renato
Viola/Produção executiva de Luiz Carlos
Sá/Assistência de Produção: Yara Vidal
Técnicos: Renato Viola, Wilson e Ricardo
Franjinha (SP) – Andy Mills, Celio Martins, Don,
Braz, Edu e Nestor (RJ) Auxiliares de Estúdio:
Ferreira & Stipankovic (SP) – Sergio Luiz,
Antonio Carlos, Jorge, Felipe e João Maria (RJ)
Direção de Mixagem: Renato Viola/Técnicos
de Mixagem: Renato Viola e Ricardo Franjinha
Capa: layout de Gernot Stiegler com fotos de
Ella Durst/Coordenação de capa por Vera
Roesler.
Orquestra arregimentada por João Luzze,
com a participação dos seguintes músicos:
Pareschi (spalla), Michel, Nathercia, Stanislaw,
Bernardo, Virgilio, Lana e Bordinhão (violinos)
Stephany e Jandovy (violas)/Iberê e Alceu
(cellos)/Maurilio e Barreto (pistons)/Norato e
Jessé (trombones)/Svab e Toninho (trompas)
Celso, Lenir e Franklin (flautas)/Mazinho
(clarinete) e Lumumba (fagote).


Este disco nasceu do chamado choque
cultural sentido por um baiano de Bom
Jesus da Lapa e um carioca de Vila Isabel
diante da imensidão da Paulicéia onde
foram morar. Daí a saída do sertão depois
de visitar as sete marias, a passagem pelos
mineiros, a chegada no verão, o vôo, a
selva, o desamparado lixo espacial
desabando em cima da alucinada Alice.
E afinal, a volta pelo chão de poeira,
a chuva do campo na cara e a chegada no
Baquiá, onde se planta sem destruir nem
arrancar a raiz da mata. Hoje estamos aí
no meio duma e doutra fumaça e mato,
cimento e terra.


S & G


sábado, 3 de dezembro de 2016

SÁ & GUARABYRA - PIRÃO DE PEIXE COM PIMENTA (1977 - Som Livre)



01 - Sobradinho (Luiz Carlos Sá - Guttemberg Guarabyra)
02 - Marimbondo (Marlui Miranda - Xico Chaves)
03 - Trem de Pirapora (Luiz Carlos Sá - Guttemberg Guarabyra)
04 - João Sem Terra (Luiz Carlos Sá - Guttemberg Guarabyra)
05 - Pirão de peixe com pimenta (Luiz Carlos Sá - Guttemberg Guarabyra)
06 - Coração de maçã (Luiz Carlos Sá - Guttemberg Guarabyra)
07 - Cinamono (Luiz Carlos Sá - Guttemberg Guarabyra)
08 - Espanhola (Flávio Venturini - Guttemberg Guarabyra)
09 - Canção dos piratas (Luiz Carlos Sá - Guttemberg Guarabyra)
10 - Água corrente (Luiz Carlos Sá - Guttemberg Guarabyra)


SOBRADINHO
sá – violas caipiras, violão de aço
guarabyra – violão nylon
sérgio cafa – piano acústico
sérgio magrão – baixo
luis moreno – bateria
mauricio einhorn – gaita
chiquinho – acordeon
chico batera – percussão


MARIMBONDO
sá – viola caipira
guarabyra – violão de aço
sérgio cafa – piano acústico
sérgio magrão – baixo
luis moreno – bateria
chico batera – percussão
quintininho de pirapora – bandolim


TREM DE PIRAPORA
sá – violão de aço, viola caipira solo
sérgio cafa – piano elétrico
sérgio magrão – baixo
luis moreno – bateria
paulo guimarães, danilo caymmi, paulinho jobim,
franklin – flautas
chico batera – percussão
arranjo & regência – nelson ângelo


JOÃO SEM TERRA
sá – violão de aço, viola caipira, viola solo
guarabyra – violão nylon
didito – violão aço
sérgio cafa – piano acústico
sérgio magrão – baixo
luis moreno – bateria
chico batera – percussão


PIRÃO DE PEIXE COM PIMENTA
sá – viola caipira
guarabyra – violão nylon
sérgio cafa – piano
sérgio magrão – baixo
luis moreno – bateria
chico batera – percussão
formiga, hamilton – pistons
ed maciel, manoel araújo – trombones
paulo guimarães – flauta
copinha – piccolo
zênio – tuba
netinho – clarinete
ribeiro – pratos
arranjo e regência de rogério duprat
coro de bar pela rapaziada do level


CORAÇÃO DE MAÇÃ
sá – violão de aço
guarabyra – violão nylon
tuca – piano acústico
sérgio cafa – baixo
luis moreno – bateria
chico batera – percussão
paulo guimarães e copinha – flautas
arranjo para flautas – sá & rogério duprat


CINAMOMO
sá – violão aço
sérgio cafa – piano elétrico
sérgio magrão – baixo
luis moreno – bateria
paulo guimarães – flauta
chico batera – marimbas


ESPANHOLA
arranjo de base, orquestra e regência de
eduardinho souto neto
viola elétrica de 12 cordas – tavinho burnier
violão acústico – cartier
piano – gilson
baixo – fernando leporace
bateria – nonato


CANÇÃO DOS PIRATAS
violão de 12 cordas – sá
guitarra – didito
piano acústico – luisão
baixo – pedro jaguaribe
bateria – nonato
trompas – antonio, swab
violas – pissarenko, nathercia teixeira
cellos – iberê gomes grosso, alceu
violinos – vidal, ricardo, carlos eduardo, wilson,
aizik, valter, paulo, bove
arranjo e regência de orquestra – eduardinho souto
neto
coro – lizzie, rosana, ismail, betinho, didito


ÁGUA CORRENTE
sá – viola caipira, bandolim, guitarras slide
guarabyra – violão nylon
sérgio cafa – piano elétrico
sérgio magrão – baixo
luis moreno – bateria


FICHA TÉCNICA
direção de produção: guto graça mello
produção executiva: sergio mello
direção de estúdio: sergio mello
assistentes de produção: yara vidal,
astor silva filho e lucio milheiro
arregimentação: joão pinheiro
arranjos e regência: eduardo souto neto,
rogério duprat e nelson ângelo
arranjos vocais: sá & guarabyra
técnicos de gravação: célio martins, braz,
edu, audy, don (rio) marcus vinicius, wilson
nani e franjinha (s. p.)
assistentes de estúdio: guilherme pires, joão quereca,
mario, carlos moleza (rio) e franjinha (s. p.)
direção de mixagem: sergio mello, sá e guarabyra
técnicos de mixagem: célio martins, edu, don
e marcio antonucci
montagem: ieddo gouveia
foto e capa: lula lindenberg
coordenação da capa: vera cristina roesler

gravado em 16 canais nos estúdios vice-versa (s. p.)
e sigla (rio) de fevereiro a julho de 1977.


sexta-feira, 2 de dezembro de 2016

SÁ, RODRIX & GUARABYRA - PASSADO, PRESENTE, FUTURO (1972 - Odeon)



Biografia: http://dicionariompb.com.br/sa-rodrix--guarabyra 

01 - Zepelin (Luiz Carlos Sá)
02 - Ama teu vizinho (Luiz Carlos Sá - Zé Rodrix)
03 - Juriti Butterfly (Luiz Carlos Sá - Guttemberg Guarabyra)
04 - Me faça um favor (Luiz Carlos Sá - Guttemberg Guarabyra)
05 - Boa noite (Luiz Carlos Sá - Zé Rodrix)
06 - Hoje ainda é dia de rock (Zé Rodrix)
07 - Primeira canção da estrada (Luiz Carlos Sá - Zé Rodrix)
08 - Cumpadre meu (Guttemberg Guarabyra)
09 - Crianças perdidas (Zé Rodrix)
10 - Azular (Luiz Carlos Sá)
11 - Ouvi contar (Luiz Carlos Sá - Zé Rodrix - Guttemberg Guarabyra)
12 - Coda: Cigarro de palha (Guttemberg Guarabyra)


zepelin
- orkestra odeon, sob regência de gaya
& vários passageiros, entre os quais
sá, rodrix, guarabyra, amarilio, heleninha,
nelson angelo, fernando & zé nery
desarranjo orquestral de zé rodrix.


ama teu vizinho
- rodrix no solo e no piano, com vocal
de sá, guarabyra e fernando, sá na viola
caipira, guarabyra nas congas,
fernando no baixo, nelson angelo na
guitarra & paulinho na bateria; zé luiz,
gilberto e zannato tocam os trombones
escritos por rodrix, sob regência de gaya


juriti butterfly
- sá, rodrix e guarabyra cantam;
cordas odeon sob regência de gaya,
num arranjo de rodrix, que agradece a
tavito a frase das violas, e que toca
acordeon, enquanto sá toca
violão de aço.


me faça um favor
solo de sá, com rodrix e guarabyra;
sá na viola caipira, rodrix na guitarra
de 3 cordas, guarabyra no violão,
fernando leporace no baixo, pedrinho
poeta na bateria.


boa noite
- rodrix cantou, em decúbito dorsal, e
tocou piano; sá tocou violão e guarabyra
usou os bells; arranjo de rodrix, com
a orquestra odeon sob regência de gaya.


hoje ainda é dia de rock
- sá tocou guitarra base e fez vocal,
guarabyra tocou tumbadora e também
fez vocal, já rodrix tocou piano e
solou; nelson angelo de guitarra solo &
bom gosto, fernando leporace no
baixo e na paz de espírito, luiz carlos
abolição na bateria.


primeira canção na estrada
- sá solou e foi na viola caipira,
rodrix no piano & no vocal, guarabyra
no violão de aço & no vocal,
fernando leporace no baixo e pedrinho
poeta na bateria.


cumpadre meu
- guarabyra tocou guitarra de 12
cordas e solou; sá atacou de viola
(inclusive citando a 2ª parte de certas
coisas) e fez os criollos do final,
com rodrix, que tocou piano, fez as
terças com guarabyra e arranjou
com guarabyra os trombones, que foram
tocados por zé luiz, gilberto & zannato, 
sob a regência de gaya, fernando
leporace no baixo.


crianças perdidas
- rodrix solou, com coro (filtrado na
caixa explorer) de guarabyra,
fernando leporace e sá, o qual tocou
o violão de aço; arranjo de cordas
de rodrix, improviso de violino por
ciccillo, regência de gaya; sonoplastia
por guarabyra, rodrix & antônio faya.


azular
- sá, solou e tocou craviola (cortesia de
ivan); rodrix tocou violão base, de
nylon; guarabyra tocou violão de aço;
fernando leporace no baixo.


ouvi cantar
- solo de sá, com rodrix e guarabyra;
sá no alaúde, rodrix no cravo e na
ocarina, guarabyra no violão de aço,
fernando leporace no contrabaixo;
antiga orchestra de cordas escritas
por rodrix, sob regência de lindolpho gaya.


coda – cigarro de palha
- gravado ao vivo na estrada rio –
friburgo (na falta de uma mais distante)
com sá na viola de ponteio, rodrix
no acordeon hohner e guarabyra
no violão de aço.



passado, presente, futuro foi gravado
nos estúdios odeon rio, sob direção
artística de milton miranda, numa
produção de mariozinho rocha, que
também fez algumas tentativas
frustradas de piano e órgão; direção
musical e regência de lindolpho gaya,
que fez milagres com as orquestrações de
josé rodrix; arranjos base de luiz
carlos sá, josé rodrix e gutemberg
guarabyra, nossos agradecimentos a
nelson angelo, fernando leporace,
pedrinho poeta, luiz carlos & paulinho;
técnicos de som, só nivaldo, jorge &
zilmar; direção técnica de zoltan merky,
corte de renny lippi; montagem de tapes
com o Roberto; assessoria eletrônica
do willy; design e arte da capa e
contracapa por waltércio caldas junior,
e fotografias de amarilio costal,
sob os bons fluidos de toninho neves,
heleninha, guayra, bebel, lizzie,
marya e gabriel nossos mais jovens
associados. 


quinta-feira, 1 de dezembro de 2016

ZÉ RODRIX - SOY LATINO AMERICANO (1976 - EMI-Odeon)


Biografia: http://dicionariompb.com.br/ze-rodrix 

01 - Soy latino americano (Zé Rodrix - Roberto Livi)
02 - Boa viagem (Zé Rodrix)
03 - É impossível parar de dançar (Zé Rodrix)
04 - Donde estará mi vida (F. Naranjo - I. Roman - Segovia)
05 - Chamada geral (Zé Rodrix - Roberto Livi)
06 - Exército da salvação (Zé Rodrix)
07 - Eu vou comprar esse disco (Zé Rodrix - Lamis)
08 - Ilha deserta (Zé Rodrix)
09 - Hmmm! (Mas que noite) (Zé Rodrix)
10 - Eu não sei falar de amor (Zé Rodrix - Felipe)
11 - Todo dia eu tenho que chorar um pouco (Zé Rodrix - Ramos)
12 - Casa no campo (Zé Rodrix - Tavito)



“SOY LATINO AMERICANO”

Gravado em 18.2.76. Hugo Belardi, Piano; Marcello, guitarra; Augusto César,
baixo Fender; Paulinho Braga, bateria; Hermes, tumbadora; David, bongôs;
Dazinho, shaker; Eva, Marisa, Cláudia, Regina, Mário e Roberto, vocal; solo
de trompete, Hamilton (do vermelho, ao roxo, ao azul cianoso); Gerson Combo,
agogô. Os autores agradecem ao Dr. Roberto Fischer, L. D., sem cujo exce-
lente apoio não teria sido possível a História. Gracias, cumpadre.


“BOA VIAGEM”

Gravado em 16.2.76. Hugo Belardi, piano, Arp Strings e Arp Odissey Sin-
thesizer; Zé Rodrix, Arp Odissey Sinthesizer; Geraldinho Vespar, violão;
Paulo César, baixo Fender; Paulinho Braga, bateria; Eva, Marisa, Olívia,
Regina, Roberto, Ronaldo e Mário, vocal.


“É IMPOSSÍVEL PARAR DE DANÇAR”

Gravado em 18.2.76. Zé Rodrix, piano; Hugo Belardi, Arp Odissey Sinthe-
sizer; Marcello, guitarra; Luizão, baixo Fender (e muito swing de quebra);
Paulinho Braga, bateria; David, pandeirinho; Eva, Marisa, Cláudia, Regina,
Roberto e Mário, vocal.


“DONDE ESTARÁ MI VIDA”

Regravação de um sucesso do cantor-mirim Joselito, feito em 18.2.76. Hugo
Belardi, piano Fender; Geraldinho Vespar, violão; Luizão, baixo Fender;
Paulinho Braga, bateria e bongôs; Dazinho, saker; Roberto Livi +
Rodrix X 3, vocal.


“CHAMADA GERAL”

Gravado em 18.2.76. Zé Rodrix, piano; Hugo Belardi, Farfisa Sinthestalem
e Arp Odissey Sinthesizer; Paulo César, baixo; Marcello, guitarra; Paulinho
Braga, bateria; Gerson Combo, agogô; Eva, Marisa, Olívia, Ronaldo, Roberto
e Mário, vocal; solo à La Alvin Lee, Hugo Belardi.


“EXÉRCITO DA SALVAÇÃO”

Gravado em 2.4.76. Zé Rodrix, órgão Hammond; Hugo Belardi, piano;
Geraldinho Vespar, guitarra; Luizão, baixo Fender; Paulinho Braga, bateria;
Eva, Marisa e Olívia, vocal; homenagem a todas as Madalenas do mundo,
inclusive a da História Sagrada.


“EU VOU COMPRAR ESSE DISCO”

Gravado em 17.2.76. Hugo Belardi, piano; Zé Rodrix, Farfisa Sinthestalem
Explorer; Paulo César, baixo Fender; Geraldinho Vespar, violão; Paulinho
Braga, bateria
  

“ILHA DESERTA”

Gravado em 17.2.76. Zé Rodrix, piano Fender; Geraldinho Vespar, violão,
Paulo César, baixo Fender; Paulinho Braga, bateria; Dazinho, shaker; Eva,
Marisa, Olívia, Regina, Roberto, Ronaldo e Mário, vocal; banda de pífaros
Forró do Jabuatão, com Zé Rodrix, Hugo Belardi e o “superb” Jorginho
de piccolo.


“HMMM! (MAS QUE NOITE)”

Gravado em 3.5.76. Zé Rodrix, piano Fender e Hohner Clavinet; Hugo
Belardi, Farfisa Sinthestalem Clavinete e Arp Odissey Sinthesizer; Alexandre,
baixo Fender; Mamão, bateria; Hermes, pandeirinho; Dazinho, queixada; Eva,
Marisa, Olívia, Regina, Roberto, Ronaldo e Mário, vocal.


“EU NÃO SEI FALAR DE AMOR”

Gravado em 2.4.76. Zé Rodrix, piano Fender & celesta; Hugo Belardi, piano
e órgão Hammond; Neco, guitarra; Luizão, baixo Fender; Paulinho Braga,
bateria; Eva, Marisa e Olívia, vocal.


“TODO DIA EU TENHO QUE CHORAR UM POUCO”

Gravado em 19.2.76. Zé Rodrix, piano Fender; Geraldinho Vespar, violão; Paulo
César, baixo Fender; Paulinho Braga, bateria; Eva, Olívia, Marisa e Mário, vocal e
Assovios; Roberto e Ronaldo, solo de Trombone de Boca.


“CASA NO CAMPO”

Gravado em 3.5.76. Hugo Belardi, piano Fender e Arp Strings; Neco, guitarra;
Alexandre, baixo Fender; Mamão, bateria; à sua esquerda, Golden Boys + Trio
Esperança + Eva + Olívia; à sua direita, coral do Joab; Zé Rodrix, Arp Odissey
Sinthesizer e regência de cordas.



METAIS: Trompetes, Hamilton e Mozart; piccolo trumpet, Formiga; sax-alto, Emilio; Tenor, Zé Bodega; barítono, Comendador Aurino; trombones, Ed Maciel, João Luís e Sylvio.
CORDAS: Spalla, Pareschi; Violinos, Vidal, Daltro, Zé Alves, José Lana, Aisik, Perrota, Nelson Macedo; violas, Penteado, Kiszely e Murillo; Celli, Alceu, Watson e Mme. Ana Devos.



O disco “SOY LATINO AMERICANO” entrou em produção em novembro de 75, mas só foi se efetivar sonoramente no estúdio no dia 16.2.76. Direção artística de Milton Miranda e Renato Corrêa; Produção Artística, Roberto Livi; Orquestrações e Regências de Hugo Belardi, exceto “Casa no Campo”, regência de Zé Rodrix; Técnicos de Gravação, Toninho, Dacy e Roberto; Técnico de Remixagem, Jorge Teixeira, sem dúvida um gênio; facilidades de estúdio, Serginho e Guaracy; Direção Técnica do Sr. Merky; montagem das fitas, Wilson, além de tudo um excelente compositor; corte, Osmar; capa e contracapa, Criação – P . S. Propaganda – Direção Joel Cocenza; Design, Ronald Mellos; e todo o amor do mundo pros amigos Miguel, Mariozinho Rocha, Martinha, Cleuza, Salmiro e o clube do Xadrez Chinês, Willy, Ladimar, Edir, Marya e Joy, Dolabella, Sandra e Fábio, Nivaldo Duarte, Roberto Fischer e Marilia, Carlos Imperial, Hugo Bidet, Nélvia, Alex Vianny, Marquinhos Silva, Jorge Abicalil, Zezé Gonzaga, Maestro Cipó, Renato Martins, Tavito, Marques Rebelo, José de Alencar, Barão do Bom Retiro e Nabucodonosor.